8 de novembro de 2007

Ahh Amanda!!

São essas Amandas, ditas Amandas que vivem dentro de mim, que andam sem saber pra onde, que falam sem saber o que, que vivem triste por nada, que sempre estão felizes por tudo. Que está sempre sonhando acordada. Que vive pensando no futuro, porque o passado já não importa mais. Que dá o devido valor às coisas simples da vida, que se importa com quem realmente é importante, não para o mundo e sim pra ela. Desejo à cada uma dessas Amandas que a Lua não escondam-se dela, pois é ela a inspiração da sua paixão, e que o Sol mantenha à elas o brilho de uma jóia que não se apaga por coisa alguma. Que ao ouvir um novo som tenha uma sensibilidade de um assovio distante, como a canção de um pássaro que a única coisa que lhe resta é cantar. Que a cada caminho novo que há de ser seguido, desejo à essas Amandas que sejam abençoadas, e que as suas palavras venham a ser ouvidas como uma nova canção. São à todas essas Amandas que há dentro de mim, que desejo um amor puro, aonde chamando-as de Maria, possa haver sempre um João à dedicar poesias e frases de amor, que ao declarar-se à ela não seja como uma dor de um tempo distante. São os sons dos passos em saltos, os barulhos do vento pela janela, ou até mesmo o som de cada trovão que fazem a diferença, porque a beleza está nos olhos de quem vê, e a sensibilidade no ouvido de quem sabe sentir-se. Ah! se todos os meu sentimentos fossem visíveis, os gritos do silêncio soariam tão alto que me fariam ser o que não sou. Por muitas vezes me pego a meditar sobre o nada, em palavra alguma, pois dentro de mim há um coração sincero e que (in)felizmente é frágil demais. Penso no tempo em que ainda há de acontecer, e vivo com a única coisa resta a Amanda viver sem o medo de ser feliz, de enfrentar o mundo, a vida, as pessoas, porque sei que há um guardião cuidando dos meus passos. E é há essas Amandas que desejo também, que a ousadia esteja sempre presente dentro delas, e que essas Amandas possam viver a vida como se deve, e já como não se sabe ao certo como viver à vida, que elas possam fazê-la de uma estádia para tudo o que de bom que esse mundo tem a lhe oferecer.


(eu não sou uma pessoa triste, muito pelo contrário, sou feliz apenas por ser a única coisa que me resta, afinal de que vale a tristeza? acentece é que muitas vezes a minha imaginação é triste, e quando ela vem eu insisto em publicá-la)

Marcadores: ,

Postado Por: Man** às 17:56

------------------------------------------------------------------------------

2 Comentários:
At sexta-feira, novembro 09, 2007 5:21:00 PM, Anonymous Angel** said...

VocÊ e seus textos né Man, tanta saudades de você, vem pra cá nas suas férias por favor.
te amu
bjux

 
At sexta-feira, novembro 09, 2007 11:15:00 PM, Blogger Xintia :D said...

Oi, Manzinha!
Está tudo bem? Não entendi muito bem o que você quis passar com o textinho. E a parte: "os gritos do silêncio" me deixou muito perplexa! 0__0 Gritos do silêncio?

Hehehehe. Tomara que esteja tudo bem. Afinal, estamos contando os dias para entrarmos de férias!

Bom final de semana.

Kiss

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home